Selecione e ouça uma canção!




sábado, 4 de agosto de 2007

DIÁRIO ESTELAR - CAPÍTULO 4
***********************************
Diário Estelar 1234567/4
Sistema Solar: Desconhecido
Dia/Mês/Ano e Hora: Incertos
Acordei hoje mais disposto um pouco para continuar esta minha jornada. Olho pela tela de meu computador que me da a visão de fora e vejo que tudo está calmo. A poeira das estrelas que se desintegraram recentemente ainda rebrilha a luz do sol e os seus reflexos no espaço criam formas que se assemelham muito a pequenos diamantes. Um meteorito aqui, um asteróide ali, mas tudo lá fora está até agora na mais absoluta normalidade e na mais perfeita tranqüilidade. E sinceramente espero que nesses próximos anos-luz a turbulência esteja fora de minha rota...Vou tomar meu café agora. Detesto essas pílulas. Que saudade de um bom pão com manteiga e uma média bem quentinha. Se tivesse um pãozinho de queijo então seria perfeito! Hummmmm...Sinto falta dos jornais matinais na tv e suas notícias, mesmo que alguns desses programas por vezes sejam sensacionalistas, mas não tenho nenhuma tv por aqui. Engraçado, estava pensando uma coisa muito louca agora. A maioria dos programas de tv são transmitidos via satélite não são? Puxa, imagina se eu tivesse um aparelho de tv agora! A imagem iria ficar show de bola, afinal estou tão pertinho dos satélites... Que tv a cabo maravilhosa eu não teria hein? Ligaria o cabo diretamente no satélite e então assistiria aos programas antes que todo mundo, afinal até o sinal chegar lá embaixo... he he he Que maldade gente...Bom, terminei meu café. O prazer de sentar-se a mesa, de passar a manteiga no pão, de sentir o aroma do café recém coado e de misturar o leite quentinho, foi trocado por 2 pílulas, duas minúsculas pílulas. Que tristeza! A modernidade e o progresso trouxeram muita coisa boa, mas a necessidade de se fazer tudo muito rápido e de ter pouco espaço, trouxe “melhorias” que acabaram com certos prazeres. Não sei aonde o infinito vai nos levar desse jeito, juro que não sei! E falando em não saber, não sei que horas devem ser agora aqui no espaço. Cruzo centenas de milhares de fusos horários e a essa altura do campeonato, um relógio de nada me adiantaria, mas sei que está na hora de fazer meu relatório diário, onde preciso verificar meu estoque de suprimentos, de combustível e de oxigênio. Vejo lá no horizonte que o sol começa a iluminar a face de alguns planetas e espero que este mesmo sol esteja iluminando agora face do território brasileiro lá no orbe terrestre, meu planeta natal tão distante agora de mim e que este sol esteja trazendo á todos os brasileiros um lindo amanhecer, um amanhecer de muita esperança. E que este mesmo sol, ilumine todos os meus amigos queridos que estão lá na terra, esse planeta que agora me parece estar bem longe. Posso estar longe dele, posso não estar achando o caminho de volta, mas meu coração e meus pensamentos estão sempre com todos ali, emitindo á todos as melhores vibrações do mundo, quer dizer, do infinito!Agora vou conferir meu diário de tarefas. Caramba, quanta coisa pra fazer! Tenho que começar agora. Mãos á obra Zé Roberto!! Será que terei uma viagem tranqüila hoje? Tomara....

Um comentário:

Dani(ela) disse...

sabe, sua nave é sua concha... tomara que ache, na hora certa, o caminho de casa. e aí, quando acabar esses ostracismo, vais olhar pro céu e ver o tanto que "viajou".

bjo.