Selecione e ouça uma canção!




segunda-feira, 6 de agosto de 2007

DIÁRIO ESTELAR - CAPITULO 7
**********************************
Diário Estelar 1234567/7
Sistema Solar: Desconhecido
Dia/Mês/Ano e Hora: Incertos
Estou de volta a sala de rádio. Vejo sinais fracos vindos de algum ponto, mas de onde? Tomara que seja ajuda!! Deixa-me ver se consigo contato: Mayday! Mayday! ZR001PT chamando!! Mayday! Mayday! Tem alguém na escuta? Meu Deus é ajuda, deve ser!!Mayday! Mayday! Por favor, me ajudem!!! Estou sentindo que há uma conversação, são duas naves em pontos diferentes, mas não defino o que dizem. Em que língua será que falam? De que planeta seriam? Seriam alienígenas? Bom, de certa maneira acho que o alienígena sou eu, eles estão no lugar deles, eu é que sou o invasor. Mayday! Mayday!! SOS, Help!!! Preciso retornar a terra, por favor, me ajudem!!!! Ah não!! Vão desligar!! Não desliguem, por favor, preciso de ajuda!!! Por favor!!!!O sinal está ficando fraco de uma das naves. Está baixando a freqüência e deve cair a qualquer momento. Isto não pode ser verdade! Isto não pode estar acontecendo!! Hei!!!! Estou aqui!! Não estão me ouvindoooooooo? Mayday! Mayday! Ah que coisa, o sinal da primeira nave caiu! Vou tentar a segunda e espero que consiga.... Droga!!! Desligou também, não creio!!! Não acredito!!! Esta vai ser uma das minhas piores noites e com certeza será um dos meus piores dias amanhã! Já tinha ido me recolher e poderia muito bem estar dormindo, mas fui atender ao chamado do rádio que não deu em nada. inacreditável!! E eu que pensei que receberia a ajuda! Estou mesmo frito igual lambari em churrasco de pescador. Vou deitar. Se eu tivesse aqui umas garrafas de piratas, esvaziaria todas elas rapidamente. Agora me lembro de uma música que cantava um grande poeta chamado Zé Geraldo que vivia no Brasil em 2005, na era dos velhos e ultrapassados cds. A música era mais ou menos assim: “Esvazio a garrafa de cachaça, em meio às escadarias do teatro..” No meu caso, pararia em alguma nebulosa e detonaria uma dezena de garrafas para tentar esquecer. Que tristeza sinto agora! Lembro-me novamente deste poeta num trecho de letra que reflete muito bem o estado de espírito que toma conta de meu ser, verso que eu tomo a liberdade de adaptar: “Eu estou acabrunhado e só, perdido e sem lugar, feito um galho seco, arrastado pelo temporal” Não tenho mais o que pensar, só me resta dormir e ter fé para encontrar novamente meu caminho.... Que Deus me ajude!!! Muito a contra gosto me recolho e irei dormir com muita dificuldade. Tomara a Deus que eu não tenha pesadelos durante o sono enquanto estiver dormindo, porque um pesadelo lúcido já estou tendo faz tempo... Boa noite Diário Estelar, meu único e fiel companheiro de viagem... Até amanhã....
Para ver os outros capítulos, clique na página inicial em MARCADORES e depois em Diário Estelar.

Um comentário:

Dani(ela) disse...

então quando a gente soa um "mayday" e ninguém responde, a gente deseja nem ter ouvido sinal algum.

querer ajuda e não ter é doído até no espaço.

bjo.