Selecione e ouça uma canção!




quinta-feira, 27 de setembro de 2007

A FÁBULA DAS BORBOLETINHAS COLORIDAS
(Arte by Moniquinha)
Existia uma casinha, que era visitada todos os dias por lindas borboletinhas coloridas, que vinham de vários lugares diferentes, pousavam na janela dessa casinha e ficavam conversando todos os dias, por horas e horas, ás vezes de dia, ás vezes de noite. Eram lindas essas borboletinhas. Cada uma tinha uma cor e suas asinhas eram muito brilhantes. Mas tinha uma borboletinha amarela, coitadinha, que vivia triste e tinha sempre um ar de amargura e de melancolia em seu olhar e em suas palavras. Notando isso, uma borboletinha azul se aproximou e disse:
-Ó borboletinha amarela, porque tens esse ar de tristeza e melancolia? Porque és assim tão triste?
-Ah borboletinha azul, sou triste porque de onde eu venho a borboleta chefe sempre me trata mal, dizendo que eu sou feia sem cor e sem vida. E de tanto ela insistir, passei a voar sempre de antenas baixas. Perdi minha auto estima e passei a me achar realmente feia e sem graça.
-Que nada minha cara borboletinha amarela! És linda, tens a um bonito rosto e suas asas são brilhantes, cheias de graça. Não percebes, mas é encantadora! Posso ser seu amigo?
-Claro borboletinha azul, mas não sei se você vai agüentar o minha conversa sempre deprimente e as minhas lamentações.
-Ah não temas minha cara, tenho certeza que você não é assim tão depressiva. Acredito que a medida que você passar a se amar mais, vai enxergar a vida com outros olhos e com outras antenas. Mas para isso, você precisa se libertar da borboleta chefe, pois ela é que faz com que você continue sendo infeliz. Lute, reaja, faça uma revolução dentro de você mesma e se libertará desse estigma.
-Mas como posso fazer isso borboletinha azul? Sou dependente da borboleta chefe e se eu sair de onde estou o que farei? Para onde vou? Passarei a voar sem rumo e posso me perder. Sou insegura e não consigo raciocinar direito. Você me ajuda a pensar?
-Claro que sim borboletinha amarela, confie em mim e eu te ajudarei no que você precisar. E depois tem outra coisa. A companhia que tens de todas essas borboletinhas que aqui pousam junto de nós todos os dias fará com que você possa adquirir a felicidade e a alegria que tanto almejas. Nada temas, estou aqui para lhe ajudar!
E assim foi durante vários meses. A borboletinha azul não mediu esforços para ajudar a borboletinha amarela. Ficava horas e horas conversando, ouvindo seu desabafo, dando sugestões e a sustentação necessária que ela tanto precisava. As horas passavam bem rápido e a conversa era sempre animada tanto que ás vezes as outras borboletinhas iam todas embora para suas regiões e a borboletinha azul e a amarela ficavam conversando até não agüentarem mais de sono. A borboletinha amarela foi então se levantando, foi tendo de volta a sua auto estima e em pouco tempo pode finalmente dizer para sua melhor amiga:
-É minha cara borboletinha azul, tinhas razão! Eu voava pela floresta e até pelos jardins da cidade e muitos outros insetos me elogiavam mas eu nunca dei bola porque achei que estavam brincando comigo, mas agora estou me vendo com outros olhos. Esses dias atrás, parei para me refrescar naquele lago ali adiante e no espelho d’água que se formou pude observar que realmente sou linda. A partir daí passe a me dar valor. Estou me cuidando e partirei para novas conquistas que me livrem da dominação da borboleta chefe.
Em poucos dias, as borboletinhas voltaram a pousar na mesma janelinha e a borboletinha amarela disse para a borboletinha azul:
-Amiga, você não faz idéia do que eu estou fazendo!
-O que você está fazendo minha amiga?
-Estou fazendo um curso de polinização de flores!
-Mas que lindo borboletinha amarela! Parabéns!! Isso vai fazer de você independente, porque no futuro muitas flores precisarão de você para fazer a polinização e pagarão a por isso.
-Que bom, assim espero que seja minha querida borboletinha azul.
O tempo foi passando e a borboletinha amarela foi ficando cada vez mais feliz com o seu curso, arranjando outras borboletinhas como amigas. Ela foi ficando mais alegre, renovada e confiante em seus propósitos e em seu futuro. Estava feliz com seu curso, estava se dando muito bem nele. Fazia as provas e sempre se saia bem, principalmente porque a borboletinha azul, sabedora de que iam acontecer essas provas, sempre vibrava positivamente pelo sucesso da amiga e isso resultava em êxito pleno. Mas um dia, uma outra borboletinha que nunca tinha estado por aquelas paragens passou a pousar naquela linda janelinha. Essa nova borboletinha era marrom e vinha de um Vale distante, mas muito bonito. Quando chegou, logo se apresentou e foi muito bem recebida. Então a borboletinha marrom não teve dificuldades em arrumar novas amizades e em pouco tempo conversava animadamente com todos. Muitas conversas todos os dias e a afinidade entre a borboletinha amarela e a borboletinha marrom logo aconteceu. A borboletinha azul que era sua melhor amiga foi ficando para trás, um pouco esquecida Foi aí que o problema começou. Um belo dia, voando por um bosque, a borboletinha azul encontra com a borboletinha amarela e pergunta:
-Olá minha cara amiga, a quanto tempo! Como você está? Tens alguma novidade para me contar?
-Olha borboletinha azul minha amiga, a novidade que eu tenho você não vai gostar de ouvir não!
-Pode contar minha amiga, fique à vontade.
-Sabes o que é borboletinha azul? Eu abandonei o curso de polinização!
-O que? Porque fez isso borboletinha amarela?
-Ah minha cara amiga, eu estava pensando esses dias se esse curso tinha alguma relação comigo e me sentia confusa, então falei com a borboletinha marrom ontem e disse que não estava muito contente e disse que pensava em abandonar o curso de polinização. Perguntei então se a borboletinha marrom o que ela achava, ou seja, se eu deveria ou não abandonar o curso e ela sem pestanejar disse que sim, que eu deveria abandonar o curso.
-Mas como borboletinha amarela? Você estava tão feliz com esse curso? E quem é a borboletinha marrom para te dar um conselho destes? Ela acabou de chegar aqui na nossa reunião. Ela pousa faz pouco tempo entre nós e não sabe de nada para dar uma opinião dessas!
-Ah borboletinha azul, agora não tem mais volta, já abandonei o curso!
-Que pena minha linda borboletinha amarela, eu lamento muito, mas assim mesmo torço para que tudo de certo naquilo que fores fazer daqui para a frente. Continue contando com a minha vibração.
Então, quando a borboletinha azul achou que tudo ia melhorar aconteceu o pior. A borboletinha marrom pousava na janelinha e chamava a borboletinha amarela de lado e logo a convidava para voar para uma outra janela, deixando a coitada da borboletinha azul falando sozinha. E isto foi acontecendo cada vez com mais frequencia, entristecendo a pobre da borboletinha azul que passava dias tristes e sombrios se perguntando onde tinha errado em sua relação de amizade com a borboletinha amarela que agora se fechava, se isolava e só tinha asas para a borboletinha marrom. E se fechava não só para a borboletinha azul, mas também para todas as outras borboletinhas que pousavam naquela janelinha. Mas com o tempo, a borboletinha azul foi se afastando por não agüentar tamanha indiferença e tamanho distanciamento e isso também foi acontecendo com as outras borboletinhas que foram se afastando até o ponto de deixar a borboletinha amarela e a borboletinha marrom sozinhas.
A borboletinha azul então passou a voar em outros períodos e as outras borboletinhas se juntaram, numa festa e numa alegria. Mas a borboletinha azul ainda não estava feliz, porque queria entender o que tinha acontecido. Porém o destino reservaria uma bela surpresa a borboletinha azul. Um dia, ela estava voando sozinha por um bosque e pousou em uma flor. Foi ai que veio uma linda borboletinha vermelha, pousou a seu lado e disse:
-Oi borboletinha azul, posso ser sua amiga?
-Claro borboletinha vermelha, é claro que pode!
-Você me parece triste borboletinha azul, posso te ajudar?
Então a borboletinha azul, ficou conversando por horas a fio com a borboletinha vermelha e contou-lhe toda a incompreensão que reinava em sua mente e em seu coração. E a borboletinha vermelha ao ouvir o desabafo da amiga, disse-lhe com voz branda e olhar de ternura:
-Esqueça a borboletinha amarela minha amiga. Ela está em outra flor. Você fez a sua parte tentando ajudá-la no que pode mas ela acabou sendo seduzida pela borboletinha marrom e aí você nada tens mais o que fazer. As duas borboletinhas se fecharam num mesmo casulo minha amiga e como você mesma diz, hoje conversam sozinhas porque as outras borboletinhas se afastaram. Fique tranqüila, nada tema, porque agora estarei aqui para te dar a minha amizade e o meu carinho. Torça para que a borboletinha amarela encontre seu caminho e seja feliz, porque serás muito feliz a partir do momento que conseguires entender que isso tudo que aconteceu pode ser nada mais nada menos que um curso natural da vida. De minha parte estarei sempre aqui ao seu lado para o que der e vier minha cara borboletinha azul, te dando meu carinho e minha eterna amizade!
Depois de ouvir essa linda declaração de irmandade e fraternidade, a borboletinha azul começou a chorar e disse:
-Obrigado deus da natureza por me mandar essa amiga tão bonita a me fazer companhia! E a você borboletinha vermelha, o meu muito obrigado por ter entrado em minha vida!
-Não me agradeça, aqui estou minha linda borboletinha azul. Vamos voar juntas e seremos felizes para todo o sempre!
E então voaram as duas borboletinhas juntas para uma janelinha onde recomeçaram a conversar e a bater as asinhas com alegria. Em pouco tempo as outras borboletinhas que tinham debandado, viram a alegria das duas e foram voltando, uma a uma, para logo se juntarem todas outra vez. E alegres, cantaram vivas a vida e fizeram um tratado de amizade eterna assinando em conjunto, uma declaração de união e fraternidade, para todo o sempre, para todo o existir do amor e da amizade...

Esta fábula, inspirada nas fábulas de La Fontaine, é toda construída em metáforas e provavelmente só as pessoas que conviviam comigo na época que escrevi esta história entenderão, mas ela serve pra nos mostrar que sempre temos quem nos apóia, quem nos dá a mão, quem nos aconselha e quem nos quer bem. Ás vezes, quem bem queremos e quem consideramos nossos amigos(as) ou nossos amores, acabam seduzidas momentâneamente por determinadas pessoas, situações ou fatos, mas acabam voltando sempre uma hora ou outra, pois a força da amizade e do amor quando une pra valer, une pra sempre, tanto que a borboletinha amarela depois voltou a pousar novamente na mesma janela que a borboletinha azul e voltaram a viver felizes para sempre e o são até hoje. O que o amor e a amizade une pra valer, nada nem ninguém separa definitivamente....

Pra constar, eu sou a borboletinha azul e a borboletinha amarela desistiu do curso de polinização basicamente por causa da borboleta chefe que a oprimia. a borboletinha marrom, por não saber da história, acabou aconselhando a borboletinha amarela a abandonar o curso, sem saber que ela o fazia não por vontade própria e que no fundo seu coração estava querendo continuar.

2 comentários:

Taty disse...

Se texto me fez lembrar que, o meu livro de Português, acho que da primeira série, tinha um texto que dizia assim:
"Brancas, azuis, amarelas e pretas
Brincam na luz as belas borboletas
Borboletas brancas, são alegres e francas
Borboletas azuis, gostam muito de luz
As amarelinhas, são tão bonitinhas
E a pretas, então: Oh! Que escuridão!
:)

Zé... nunca devemos deixar para trás nossos amigos... não importa o tempo que passe sem nos vermos.
Mas, como você nos mostra, há sempre aquelas que simplesmente não dão valor a uma verdadeira amizade. E somem.
Outras, ainda tentam voltar atrás. Sei que muitas vezes não aquele contato assíduo com todos eles, mas deixar cair no esquecimento, jamais. Essa semana mesmo liguei pra uma amiga que não falava há mais de um ano. E a nossa conversa foi a mesma de sempre: com alegria, fofocas rs e tudo mais.

Eu me considero uma borboleta. Borboleta Arco-Íris.
Sempre de Asas Abertas... no meu casulo cabem todos! rsrsr

Grande beijo, Migo!
(Vixe! Acabei digitando um texto...rs)

Moniquinha disse...

Caramba Tatinha, eu também me lembro desse texto...é Vinícius de Moraes amiga! Lindo! Puxa vida, que delícia ler esse texto meu amigo!
Que venham os amigos, brancos, amarelos, negros...não importa a cor, importa o valor que damos à eles. E, como são importantes nossos amigos, não?
Olha que trio delicioso aqui: Tatinha, vc e eu! Isso dá um samba!hehehe
E olha nossa janela aqui...estamos aqui, sempre juntos, batendo nossas asinhas e fazendo nossos planos. Isso é bom demais!!!
beijosssssss!!! Amo demais vcs!!