Selecione e ouça uma canção!




sábado, 19 de julho de 2008

A ARTE IMITA A VIDA OU A VIDA IMITARIA A ARTE?
Um Sábado desses qualquer, dia um pouco parado, resolvi assistir a um DVD pra passar o tempo. Acabei pondo pra rodar o filme “A procura da felicidade” estrelado por Will Smith e seu filho Jader. Quando vou assistir a um filme, procuro não ter muitas referências sobre o que vou assistir para que eu possa ser pego totalmente ou quase que totalmente de surpresa. Sempre fui assim, nunca me preocupei em ler sinopses detalhadas, principalmente porque algumas delas trazem embutidas criticas que são pessoais e que não refletem meu gosto. Já vi filmes ótimos que foram pisoteados pela crítica. Pois bem... O filme devia ter rodado uns 15 minutos apenas e uma forte emoção aliada a um certo espanto começou a tomar conta de mim. Por alguns instantes eu procurava pensar se por acaso aquele filme não seria baseado em algumas situações acontecidas em minha vida. Mas fui em frente, prestando a atenção a cada detalhe, a cada seqüência e percebi no final da película que muita, mas muita coisa ali descrita tinha a ver comigo, a começar pelo título e também muitas coisas que aconteceram com o protagonista do filme. Isso me fez raciocinar e ao final do filme fiquei pensando: A vida imita a arte ou a arte estaria imitando a vida? Seriam os roteiristas videntes que teriam captado telepaticamente os meus pensamentos ou teriam entrevistado pessoas do meu círculo de amizades para saber detalhes de minha vida? Não, decerto não, porque no final do filme o letreiro que subia avisava que aquele filme era baseado em uma história real e essa história não era a minha....
Mas é incrível como as coincidências se fizeram perceber durante a trama. Coincidências doloridas e que mexeram comigo por demais. Mas, como disse quase no início, as coincidências da trama começaram pelo título, pois vivo á procura da felicidade, não talvez a felicidade plena, mas a felicidade que me permita viver em paz comigo mesmo, a ter sossego, a ser pobre, mas feliz e isso é uma ambição. Mas se a arte imita a vida ou se a vida um dia imitará a arte, quem sabe o mesmo final reservado ao personagem dessa trama não seja também reservado a mim?? Meu poeta preferido na música, Zé Geraldo, tem uma frase que diz: “Esperar é acreditar, a vida me ensinou a esperar...”. Mas enquanto eu espero, vou correndo á procura da minha felicidade...

Um comentário:

Lana disse...

Zé do céu...

eu quase desidratei com esse filme... demais da conta né?

saudade e beijooooooooooooo